Quem é a mamã Lu?

O que vos dizer sobre mim? Partindo do princípio que a maior parte de vocês, pouco ou nada sabe a meu respeito, o que esperam saber sobre mim? Esta deveria ser aquela parte em que floreio o meu discurso, falo das minhas qualidades, e prendo a atenção de todos os que por cá passarem. Mas, permitam-me. Vou apenas ser eu, como sempre. Não vou florear, nem exagerar…

Comecei por ser a Lu, uma menina discreta, bem comportada, que fazia da escrita a sua melhor companheira, uma amiga de verdade. Sem internet, a forma mais prática de comunicar era através dos diários. Tive o sonho de ser jornalista, mas por diversas razões, acabei por não o seguir. Agora não tenho um diário regular, tenho o blog, que digamos assim, é o diário da modernidade.

Sou uma pessoa sonhadora (ACORDAAAA!), criativa (depois de lerem este texto balelas, possivelmente não irão concordar, ahah), emotiva (prefiro rir, mas também fico feliz quando choro, é sinal que tenho sentimentos e os consigo usar J), curiosa (mas não espreito pelas portas, não), dedicada (a tudo e a todos, cada vez mais, na medida mais justa para ambas as partes, pois claro), brincalhona (às vezes, quando dá, ahah), e muito muito apaixonada pela vida, e por tudo o que ela me traz (na verdade, não traz nada, eu tenho que ir atrás, mas pronto…).  Ah, e tenho sempre uma opinião a dar.

Apesar da tranquilidade que me assiste, sempre fui uma pessoa inconformista, com vontade de fazer mais e mais, de procurar o que me faz mais feliz. Afinal, de contas, nós próprios somos a única coisa verdadeiramente nossa, nesta vida.

Estudei, fui para a faculdade, e no meio do meu trajeto (que não foi tão linear quanto isso), qual não é o meu espanto quando descubro que a Lu, a simples Lu, iria assumir a maior responsabilidade da sua vida: iria ser mãe! A maternidade surgiu de uma forma tão natural na minha vida que foi impossível não me prender a este papel, que desempenho todos os dias, sem exceção. E a brincar, a brincar, já se passaram quase 7 anos desde que vi o meu maior sonho tornar-se real. Para os mais curiosos, sim, estive grávida enquanto estudava, e foi aí, que “a mamã Lu” surgiu, pela primeira vez. Formei-me em Terapia Ocupacional, e ter vivido a gravidez e um estágio de pediatria em simultâneo, foi mais uma chama acesa para me fazer agarrar com mais intensidade a maternidade e explorar este mundo que é o do desenvolvimento infantil e desenvolvimento pessoal…

Aqui não vos conto a história toda, isso daria um livro… Mas, quem sabe, um dia…

O bichinho de comunicar sempre esteve cá, por isso, aliei-o às minhas maiores paixões: decoração, organização, trabalhos manuais, culinária, e claro está, a maternidade, o desenvolvimento infantil e pessoal. Oh, e já me esquecia, também gosto de moda e maquilhagem, mas não sou pró (até parecia ridículo se não o dissesse, ahah). No fim, isso deu um blog, que depois de ter sido criado e recriado, veio para ficar, como lazer, passatempo (todos precisamos de um), mas acima de tudo como mais uma grande paixão!

Por isso, aqui vão ler de tudo um pouco, sobre tudo o que faz parte da vida de uma mãe, de uma mulher, de uma esposa, de uma amiga, e de uma pessoa, como qualquer outra. Sintam-se em casa, a mamã Lu pode ser de todos.

P.S.: Apesar de ser uma mãe jovem; não fujo àquela velha regra, e tal como todas as mamãs, quando abre a boca, não se cala (aliás, quando começa a escrever, não consegue parar).

Nenhum comentário:

Postar um comentário